Trilhas de São Paulo

Olá leitores queridos, queria me desculpar pela demora de um novo post, fiquei dodoí na semana passada e meu trabalho acabou acumulando um pouco, mas aqui estamos e hoje encontrei uma máteria super interessante sobre trilhas por São Paulo:
O Projeto “Trilhas de São Paulo” que foi uma iniciativa da secretária do meio-ambiente e da fundação florestal, pretende mostrar que um dos locais mais urbanizados do país também oferece ecoturismo para iniciantes e veteranos.
As 40 trilhas iniciais do projeto, distribuídas em 19 unidades de conservação por São Paulo, vão interligar ecossistemas, regiões e paisagens do Estado, assemelhando-se a outros programas internacionais, como o Appalachian National Scenic Trail (que interliga parte da Costa Leste dos EUA) e a Sendero de Chile (caminho que percorre de Norte a Sul do país).

Para estimular o desafio, foi criado o Passaporte para as Trilhas de São Paulo (vendido por R$ 5 na sede dos parques), um livrinho de bolso que traz um glossário e informações de cada um dos roteiros, com características e localização, mapa da área e nível de dificuldade do percurso (levando em conta tempo gasto para percorrê-lo, extensão, desnível, dificuldade do terreno e da atividade).
Fazem parte do passaporte trilhas nos parques estaduais de Ilhabela, da Campina do Encantado, de Campos do Jordão, Carlos Botelho, das Fontes do Ipiranga, Edmundo Navarro de Andrade, de Guarapiranga, de Porto Ferreira, do Itinguçu, de Assis, da Serra do Mar, do Jaraguá, de Vassununga, da Cantareira, da Ilha Anchieta, do Alto da Ribeira, Intervales, do Morro do Diabo e da Ilha do Cardoso.
Novas trilhas serão mapeadas para as próximas edições do passaporte, que também poderão conter informações de longos percursos (com duração de dois ou mais dias). Outro livro, voltado para as cavernas do Estado de São Paulo, também está nos planos.

Mais informações: http://www.trilhasdesaopaulo.sp.gov.br

Interessante não?

A Viajante

Spa atraí clientes com massagem feita por cobras em Israel

Olá queridos leitores!?!
Hoje vasculhando pela internet, encontrei um reportágem pra lá de bizarra interessante, quando pensamos que no mundo já existe de tudo, encontramos mais uma como essa aí:

No norte de Israel, há um spa que quebra todas as definições da expressão ‘massagem relaxante’. Em vez de mãos cuidadosas, o cliente é massageado por… cobras!

A dona do hotel, Ada Barak, garante que é possível relaxar com o contato com os animais, que provocam medo e aflição para a maioria das pessoas.

Ada utiliza cobras dos estados americanos da Califórnia e da Flórida, e garante que quem consegue superar o estranhamento inicial, acaba gostando – e muito – da massagem feita pelos répteis.

Seis cobras – todas não-venenosas – participam da sessão de massagem, que custa 300 shekels, o equivalente a cerca de R$ 140.

“É muito relaxante. Tem um efeito terapêutico fantástico, tirando a dor dos músculos e facilitando a movimentação”, afirma Ada.

“Tenho medo de cobras, mas realmente é muito gostoso”, confirmou uma das clientes do spa, Liz Cohen, em entrevista à Reuters.

A Viajante

Aventura a 65 km de São Paulo, conheça Atibaia!


Eu particularmente adoro este lugar, como moro em São Paulo é um bom refugio para o Fim de Semana ou simplesmente um bate-volta para descarregar as energias junto á natureza.
Trilhas, festas e muita aventura a apenas 65 quilômetros de São Paulo. Atibaia conserva o charme de uma cidade interiorana, com ótima infra-estrutura, diversas opções de divertimento para o turista e a famosa festa do morango, que acontece no mês de setembro. A infra-estrutura da cidade é boa, têm diversas opções de bares e restaurantes e muitos pontos turísticos interessantes, como praças, igrejas e museus.

É também uma ótima alternativa para os praticantes de vôo livre, trekking, para-glider e escalada, pois em Atibaia tem a bela Pedra Grande, uma área rochosa de 200 mil m², que está á 1.450 metros acima do mar. Lá de cima e com boa visibilidade é possível ver 7 diferentes municípios.

Falar de Atibaia é falar da Pedra Grande. A referência ao maior cenário turístico da cidade é inevitável. E não é por menos, nem por falta de merecimento. Além das grandiosas formas – avistadas com grande beleza em praticamente toda a cidade – estudos comprovam que são abençoados os que moram ao redor desta grande rocha.

Sua dimensão e formação geológica são responsáveis por um nível de energia cuja influência positiva se faz sentir intensamente até a um raio de 2.500 metros a partir do seu centro. A partir daí, surgem benefícios inúmeros, à saúde física, emocional e mental.
Atibaia conta com inúmeras opções de acomodação, como campings, albergues, hotéis econômicos e hotéis de luxo como o Bourbon Atibaia, subindo a Pedra Grande é possível encontrar a Ecopousada Pedra Grande, com boas acomodações e localização privilegiada em grande contato com a natureza.

Boas opções para turismo de aventura

Pedra Grande
Com 1.450 m é o ponto mais alto de Atibaia. De lá, pode avistar-se até os municípios vizinhos (Bragança Paulista, Piracaia, Jundiaí, Nazaré, etc.). Para chegar ao topo da pedra é necessário caminhar 4 quilômetros ou suba de carro que também é possível, porém o motorista tem que saber dirigir, então se caso tiver aquele amigo que é meio braço e tem um 1.0, peça para dirigir para não ter perigo de ficar atolado, mas sobre que sobre. Para os mais corajosos há a possibilidade de saltar de asa-delta e parapente.

Trilhas e caminhadas ecológicas
Visitando o Sítio Água Santa, o visitante terá a oportunidade de desfrutar de uma das mais belas paisagens da cidade. Localizado na serra da Pedra Grande, trata-se de uma ótima opção de entretenimento em Atibaia. Participe das trilhas e caminhadas que são realizadas em todos os fins de semana e feriados prolongados.

Trilha Subida
Essa trilha sai da estrada de Saibreiro e passa por inúmeras grutas e nascentes. A caminhada tem um total de 2 quilômetros e é de intensidade média.

Trilha do Cocoruto
Essa trilha sai da própria Pedra Grande e leva ao ponto mais alto da Serra do Itapetinga, oferecendo uma visão completa da região. São apenas 300 metros de caminhada leve.

A Viajante