Aventura a 65 km de São Paulo, conheça Atibaia!


Eu particularmente adoro este lugar, como moro em São Paulo é um bom refugio para o Fim de Semana ou simplesmente um bate-volta para descarregar as energias junto á natureza.
Trilhas, festas e muita aventura a apenas 65 quilômetros de São Paulo. Atibaia conserva o charme de uma cidade interiorana, com ótima infra-estrutura, diversas opções de divertimento para o turista e a famosa festa do morango, que acontece no mês de setembro. A infra-estrutura da cidade é boa, têm diversas opções de bares e restaurantes e muitos pontos turísticos interessantes, como praças, igrejas e museus.

É também uma ótima alternativa para os praticantes de vôo livre, trekking, para-glider e escalada, pois em Atibaia tem a bela Pedra Grande, uma área rochosa de 200 mil m², que está á 1.450 metros acima do mar. Lá de cima e com boa visibilidade é possível ver 7 diferentes municípios.

Falar de Atibaia é falar da Pedra Grande. A referência ao maior cenário turístico da cidade é inevitável. E não é por menos, nem por falta de merecimento. Além das grandiosas formas – avistadas com grande beleza em praticamente toda a cidade – estudos comprovam que são abençoados os que moram ao redor desta grande rocha.

Sua dimensão e formação geológica são responsáveis por um nível de energia cuja influência positiva se faz sentir intensamente até a um raio de 2.500 metros a partir do seu centro. A partir daí, surgem benefícios inúmeros, à saúde física, emocional e mental.
Atibaia conta com inúmeras opções de acomodação, como campings, albergues, hotéis econômicos e hotéis de luxo como o Bourbon Atibaia, subindo a Pedra Grande é possível encontrar a Ecopousada Pedra Grande, com boas acomodações e localização privilegiada em grande contato com a natureza.

Boas opções para turismo de aventura

Pedra Grande
Com 1.450 m é o ponto mais alto de Atibaia. De lá, pode avistar-se até os municípios vizinhos (Bragança Paulista, Piracaia, Jundiaí, Nazaré, etc.). Para chegar ao topo da pedra é necessário caminhar 4 quilômetros ou suba de carro que também é possível, porém o motorista tem que saber dirigir, então se caso tiver aquele amigo que é meio braço e tem um 1.0, peça para dirigir para não ter perigo de ficar atolado, mas sobre que sobre. Para os mais corajosos há a possibilidade de saltar de asa-delta e parapente.

Trilhas e caminhadas ecológicas
Visitando o Sítio Água Santa, o visitante terá a oportunidade de desfrutar de uma das mais belas paisagens da cidade. Localizado na serra da Pedra Grande, trata-se de uma ótima opção de entretenimento em Atibaia. Participe das trilhas e caminhadas que são realizadas em todos os fins de semana e feriados prolongados.

Trilha Subida
Essa trilha sai da estrada de Saibreiro e passa por inúmeras grutas e nascentes. A caminhada tem um total de 2 quilômetros e é de intensidade média.

Trilha do Cocoruto
Essa trilha sai da própria Pedra Grande e leva ao ponto mais alto da Serra do Itapetinga, oferecendo uma visão completa da região. São apenas 300 metros de caminhada leve.

A Viajante

Verão e Inverno na Suíça

Cenários majestosos nos Alpes, lagos de águas cristalinas, cidades medievais, esportes de inverno ou cruzar o país de bicicleta: a Suíça está de braços abertos para os turistas do mundo todo.
O país dos relógios precisos, dos fondues e das contas bancárias sigilosas tem 70% do território ocupado por montanhas, com destaque para a cadeia dos Alpes, a principal do país. Para descer dos pontos mais altos, os suíços capricharam nas alternativas. São mais de 200 estações de esqui. Nas cidades, a surpresa também está em cada detalhe das vilas medievais, dos museus e dos festivais de cultura. Tem também todo o luxo e o refinamento que cabem a uma nação com uma renda per capita de 36 mil dólares, uma das mais altas do mundo.
Conhecer a Suíça é uma experiência cultural interessante. O país é uma mistura única de três diferentes culturas a germânica, a francesa e a italiana , que semearam uma grande variedade de hábitos sem, no entanto, apagar a feição tipicamente suíça. Imagine se numa área do tamanho do estado do Rio de Janeiro fossem falados quatro diferentes idiomas. Além do alemão (o preferido entre os 7,2 milhões de habitantes), do francês (que domina o oeste) e do italiano (muito usado na região do Ticino), uma língua semelhante à que se falava na época do Império Romano o romanche ainda é usada por 0,5% das pessoas, que vivem em parte do cantão de Les Grisons.

No inverno, a Suíça recebe inumeros turistas de diversos países, são aproximadamente 50 picos de 4.000 metros arranham o céu. Logo abaixo deles, está situado um dos maiores centros de esportes de inverno da Europa – 29 deles acima de 2.800 metros ou mais. Nenhum outro país na Europa oferece tantas pistas como a Suíça – algumas delas com até 17 quilômetros de distância. A Suíça oferece algumas das melhores condições de neve nos Alpes. Afinal, os resorts de inverno suíços estão situados em média 400 metros acima de qualquer outro lugar na Europa. Além de 7.300 quilômetros de pistas e 5.000 quilômetros de trilhas, você vai encontrar mais de 500 quilômetros de pistas de tobogã na neve. A Suíça também oferece a maior rede do continente em trilhas para caminhadas, totalizando 2.500 quilômetros.

No verão também é possível fazer diversas atividades, com natureza abundante a Suíça oferece lagos nas motanhas para nado, escaladas sendo mais de 48 montanhas de mais de 4 mil metros de altura ou mesmo subir em um dos 600 teleféricos para conhecer os alpes.
São mais de 600 mil km de trilha para caminhadas que cortam toda a Suíça, os caminhos são bem marcados e cuidados, com diversos níveis de dificuldade.

Dicas de viagem para a Suíça:

Línguas:
Alemão (64%)
Francês (20%)
Italiano (7%)
Reto-romano (1 %)
Outros (8%)

Ponto mais alto: Dufour Peak, no maciço do Monte Rosa. 4.634 metros.
Ponto mais baixo: Lago Maggiore (Ticino), 193 metros.
Geleiras: 140
Lagos: 1.484

Segurança, saúde e seguros
A Suíça tem um dos menores índices de criminalidade entre os países industrializados. Mas e sempre bom ficar de olho em carteiras e malas em lugares movimentados. Comer ou beber fora não oferece riscos e a água da torneira e potável. Vacinas são exigidas apenas se o visitante esteve em uma área infectada nos últimos 14 dias. Seguro de viagem pessoal e altamente recomendável. Ele deve cobrir acidentes pessoais, doenças, perdas ou danos na bagagem assim como taxas de cancelamento.

Gorjeta
A taxa de serviço geralmente está incluída nas contas de restaurantes, hotéis e tarifas de taxi. A gorjeta extra não é esperada, porém apreciada.

Dinheiro
A moeda oficial do país permanece o Franco Suíço, geralmente indicado CHF ou SFr. Apesar da Suíça não fazer parte da Comunidade Européia e não ter convertido sua moeda para o Euro, muitos são indicados em Euros para que os visitantes possam comprá-los. Os comerciantes estão aceitando o Euro como forma de pagamento. Se houver troco, muito provavelmente será dado em francos suíços.

Horários do comércio
Horários de funcionamento:
Os escritórios funcionam geralmente das 8 as 12hs e das 14 as 17hs nos dias de semana e fecham aos finais de semana.

Tempo e clima
O clima e moderado sem calor, frio e umidade excessiva. De março a junho e de setembro a dezembro as temperaturas são amenas e podem variar de 5° a 22°C. Em junho e agosto. durante o dia variam de 18° a 28°C e janeiro e fevereiro -2°a +7’C. Dependendo da altitude, podem variar. As temperaturas na Suíças são apresentadas em graus célsius (°C).

Cia. Aérea
A SWISS esta operando atualmente cinco vôos semanais sem escala entre São Paulo e Zurique. Outras companhias aéreas também fazem vôos entre o Brasil e a Suíça com escala. Os aeroportos de Zurique e Genebra estão totalmente integrados a rede ferroviária e tem suas próprias estações de trem. Trens para as respectivas cidades saem a cada 10 a 20 minutos dos aeroportos. De hora em hora partem trens das estações dos aeroportos em direção as principais cidades.

A Viajante