Machu Picchu – Peru

Machu Picchu

Machu Picchu


Olá queridos leitores, desculpem a demora por um novo post, hoje vamos saber um pouco mais sobre Machu Picchu no Peru, os melhores lugares para se visitar.
Rodeada por um mágico silêncio, a 120Km do Cusco, sobre a vertente do rio Urubamba, está um dos mais belos monumentos arquitetônicos da terra. Considerado também como um lugar místico, gerador de energia vital, Machu Picchu (2.400 m de altitude) é admirável pela solidez da edificação, o equilibrado uso do espaço e o harmonioso complemento com o meio natural. O seu nome provém do vocábulario quenchua, que significa montanha velha. Está estrategicamente localizada para evitar a presença dos inimigos e rodeada por profundos cânions e impressionantes montanhas chamadas pelos incas de Apus ou deuses tutelares.
Machu Picchu foi totalmente construída em pedra, aproveitando todos os espaços, em harmonia com a funcionalidade. Destacam-se dois setores: a zona urbana, que compreende templos, palácios, praças, depósitos, ateliers, escadarias e fontes, entre outros: e a zona agrícola, conformada por vários tipos de escadarias ou terraços para o cultivo.
Santuário Histórico de Machu Picchu é uma área que foi tombada como Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade pela UNESCO, em 1983.

Sugestão de roteiro:

Para melhor adaptação do corpo à altitude comece o passeio por La Paz. Fiquem pelo menos uns três dias na cidade. Faça as excursões locais. Custam em média US$ 14,00 cada.
Depois vá para Copacabana na Bolívia às margens do lago Titicaca (fica a quatro horas de viagem de La Paz em ônibus de turismo). O custo da passagem é menor que US$ 10,00. Durma pelo menos três noites aí.
Em seguida vá para Puno no Peru, também às margens do lago Titicaca (fica a duas horas de viagem de Copacabana em ônibus de turismo). O custo da passagem é menor que US$ 10,00. Durma pelo menos três noites aí.
De Puno siga para Cusco (são doze horas de trem ou dez horas de ônibus ou menos de uma hora de avião). O custo da viagem por terra é menor que US$ 15,00. De avião é de US$ 50,00.
E de Cusco siga para Machu Picchu (Em ônibus de turismo custo da passagem é menor que US$ 10,00) e fique lá em média 3 ou 4 dias.

Foto aérea da cidade de Lima

Foto aérea da cidade de Lima


Previsão de gastos:

Passagem aérea do Brasil até Lima (alta estação) US$ 500,00.
Diária de hotel em La Paz US$ 10,00.
Refeição em La Paz US$ 5,00.
Excursão (distante) em La Paz (1 dia) US$ 14,00.
Aluguel semanal de veículo (4×4) US$ 400,00.
Ônibus de turismo La Paz-Copacabana US$ 10,00.
Hotel em Copacabana US$ 7,00.
Refeição em Copacabana US$ 5,00.
Passeio às ilhas em Copacabana US$ 7,00.
Ingresso em ilha ou sítio arqueológico US$ 1,00.
Hotel em Puno US$ 10,00.
Passeio às ilhas em Puno US$ 7,00.
Ingresso em ilha ou sítio arqueológico US$ 1,00.
Excursão (distante) em Puno (1 dia) US$ 14,00.
Ônibus de turismo Puno-Cusco US$ 15,00.
Hotel em Cusco US$ 10,00.
Refeição em Cusco US$ 8,00
Excursão local US$ 10,00
Ingresso em museu ou sítio arqueológico US$ 1,00.
Trilha Inca por agência (inclui o ingresso) US$ 70,00
Ingresso para a Trilha Inca US$ 17,00
Acompanhante contratado (p/ Trilha Inca) US$ 25,00
Passagem de trem para Machu Picchu US$ 7,00
Você ainda pode reduzir estes preços se procurar hospedar-se em pousadas ou hotéis de categoria simples e também se viajar sempre de ônibus turístico (porém mais lentos).

Documentos exigidos:
Passaporte e comprovante de vacina contra a febre amarela (pode tomar no aeroporto internacional mais próximo de você – não se esqueça de pedir o comprovante internacional). Não é exigido visto para brasileiros.

Clima e temperatura:

O clima da região é semi-seco e frio. Chuvoso durante o verão (dezembro a março) e ensolarado entre maio e setembro, porém não são raros dias de chuviscos. A temperatura máxima alcança os 27 graus e a mínima raramente desce dos 11. Já houve casos em chegar a 4 graus centígrados.

Possível economia:

Conforme a época do ano (alta ou baixa temporada), as passagens aéreas para um mesmo local, tem preços diferentes. São mais caras nas altas temporadas. Os períodos são:
Altas temporadas de 10 de dezembro a 5 de março e de 25 de junho a 25 de julho.
Baixas temporadas de 06 de março a 24 de junho e de 26 de julho a 09 de dezembro.

Curiosidades:
-Em algumas cidades do Peru (em Lima, por exemplo) nas ruas e avenidas as quadras também são designadas por números. Isto facilita enormemente a localização das ruas transversais a uma determinada rua conhecida. Por exemplo, a Av. Casemiro Ulloa é transversal à Av. Benavides, entre as quadras 8 e 9.
-O lago Titicaca é o mais alto do mundo (3.815 m.s.). Sua água, em pontos distantes da margem, pode ser bebida. Suas dimensões extremas, em números redondos são 160 km x 60 km. Como ele pertence ao Peru e à Bolívia, os peruanos costumam dizer que “titi” é do Peru e “caca” (cocô) é da Bolívia.
-No povo Inca havia alguns costumes bastante avançados. Havia uma preocupação muito grande para que todas as crianças tivessem pais para criá-las. Antes de haver um casamento o casal vivia junto (com todas as obrigações conjugais) durante dois anos. Terminado este tempo, se quisessem, poderiam pedir permissão para casar. Também poderiam interromper a experiência em qualquer época, caso ela não estivesse dando certo. Durante a tempo de experiência a mulher tomava chás anticoncepcionais.
-Os Incas não possuíam escrita. A comunicação visual era feita por meio de cordéis coloridos, de tamanhos diferentes, paralelos, nos quais eram feitos nós.
-Os Incas cultivavam as encostas das montanhas empregando sistemas de terraços (grandes degraus), revestidos de pedra. Este sistema protegia as encostas das montanhas da erosão das chuvas. Estas construções existem até hoje.
-A maior festa de Cusco é a Inti Raymi a festa do deus Sol que acontece dia 24 de junho. Nesta ocasião não se encontram vagas nos hotéis de Cusco. É necessário fazer-se reserva com muita antecedência.
-Na região de Cusco fala-se Espanhol e Quéchua. Os discursos cívicos são feitos nas duas línguas.

Lago Titicaca

Lago Titicaca


A Viajante

Anúncios

O Momento da China

China

China

Oi pessoal, hoje com o final das olimpíadas de Beijing vai um especial China, com pontos turisticos, informações gerais, dicas ao turista e curiosidades:

Como todos devem saber a China é um país com recursos turísticos muito diversificados: magníficas montanhas, belos rios, fontes, e cataratas, os preciosos recursos da fauna e flora específicas, assim como rica arte arquitetônica e relíquias culturais e famosos recantos turísticos. As paisagens naturais e culturais se complementam e se destacam. O País faz fronteira com países como Coréia, Rússia, Afeganistão, Índia, Paquistão, Curdistão, Nepal, Butão, Burma, Laos e Vietnã. A China possui um dos desertos mais áridos do mundo (Gobi) e uma das melhores terras aráveis também, o país tem 5.400 ilhas, sendo Taiwan a maior delas, e Hainan, a segunda. Das 19 montanhas com mais de 7.000 metros de altura no mundo, sete estão localizadas na China.
Por isso, há muito o que fazer e ver na China: de montanhas nevadas e praias a vilarejos tradicionais e grandes cidades, passando por palácios e ruínas de construções milenares, templos religiosos e milagres da arquitetura. Antes de embarcar na viagem, no entanto, é bom planejá-la corretamente. Dependendo do número de dias que pretende passar lá, vale a pena debruçar-se sobre um guia turístico do país e traçar um roteiro que permita aproveitar o que há de melhor do território chinês. A seguir, você conhecerá um pouco mais sobre o país das olimpíadas 2008.

Pechinchar sempre: os chineses têm o hábito de pechinchar e esperam que o viajante também pechinche. Barganhe o preço das tarifas de hotéis e de produtos em lojas, feiras de rua, bazares noturnos e bancas de suvenires.

Vá de táxi: somente se você mesmo contratar o serviço. Chamar um táxi por meio do hotel custa quatro vezes mais do que se você for na rua e acenar para um veículo que passa.

Culinária: os chineses sentem-se ofendidos quando o estrangeiro faz cara feia para as comidas exóticas que são servidas no país. Como apenas 10% da terra é cultivável, fica difícil alimentar uma população de 1,3 bilhão de pessoas. Para matar a fome de toda essa gente, os chineses se habituaram a aproveitar e transformar em iguaria tudo o que é possível comer: de musgo a intestino de frango, de algas marinhas a escorpiões e cachorro. Por isso, antes de pedir algum prato, informe-se do que ele é feito. E se errar no pedido e receber um prato de insetos ou de ensopado de animais domésticos, respire fundo e coma sem fazer cara de nojo ou pensar em devolver a refeição. Você pode até gostar. Deixar o prato intacto é um insulto para os chineses.

Gato por lebre: a maioria das antigüidades à venda nos mercados é falsa. E, a não ser que você seja especialista é arriscado comprar esse tipo de produto na China. Caso você seja conhecedor, cuidado. Antigüidades produzidas até 1795 não podem sair do país.

Banheiros públicos: a maioria dos banheiros públicos na China ainda são buracos no chão para serem usados de cócoras. Leve sempre seu rolo de papel higiênico, pois vai precisar dele quando usar um desses banheiros.

Água:nem toda água da China é potável, principalmente as que saem das torneiras. Na dúvida, vá de água mineral engarrafada.

O auge da temporada turística da China é entre junho e setembro, a época mais quente do ano, com temperatura média de 32ºC. É ainda uma época difícil para locomover-se de uma atração turística a outra, já que boa parte da população também está viajando. Coloque na mala roupas leves, camisetas e bermudas se for pra lá no verão. No inverno, as temperaturas podem baixar a até -25ºC, por isso, leve um agasalho à prova d’água e de vento, luvas, malha de lã, meias quentes e calçados resistentes.

Documentação: Para entrar na China é necessário passaporte válido por no mínimo 6 meses e visto.
Vacinas: Certifique-se de estar em dia com as vacinas contra pólio e tétano e vacine-se contra hepatites A e B e tifo. Vacina contra febre amarela é necessária para os visitantes que vêm de áreas endêmicas da doença.
Passeios: Todas as atrações da China cobram ingresso, e isso inclui mosteiros, templos e parques.
Idioma: O idioma oficial da China é o putonghua (língua comum), conhecido como mandarim.
Fuso Horário: A diferença de fuso-horário da China para o Brasil (Brasília) é de 16 horas. Prepare-se para o período de adaptação quando chegar lá.
Dinheiro: A moeda chinesa é o yuan (renminbi ou dinheiro do povo), e há muito dinheiro falso circulando. Lojistas costumam examinar grandes quantias e recusar notas muito danificadas. Na China não há conversão do Real para o yuan. Para comprar a moeda chinesa, você deve ter em mãos dólar, euro, libra ou yen.

Bom, agora é só comprar a passagem e visitar o país.

A Viajante